Dicas Сaseiras: 2 HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA VARICOSA (HDAV)

Posted on

A hemorragia digestiva alta (HDA) é uma grave e frequente complicação nas emergências dos

Quando mencionamos a doença não varicosa como causa de hemorragia digestiva alta e na sua terapêutica endoscópica, estamo-nos referindo às úlceras pépticas gastroduodenais hemorrágicas. Quando ocorre uma hemorragia por varizes esofágicas fora dos grandes centros, não há a opção de tratamento farmacológico com vasodilatadores esplâncnicos, endoscopia de urgência. REFERÊNCIAS A hemorragia digestiva alta (HDA) é definida como o sangramento intra-luminal proximal ao ligamento de Treitz. Esta revisão inclui 19 estudos randomizados sobre ligadura elástica contra os beta-bloqueadores para pacientes com alto risco varizes esofágicas e sem história de hemorragia. Prevenção A melhor forma de prevenir as varizes esofágicas consiste em reduzir o risco de cirrose. Não existe vacina para prevenir a infecção pelo vírus da hepatite C. Se um doente tiver varizes esofágicas, o tratamento pode prevenir a hemorragia. Tratamento O tratamento de emergência da hemorragia por rotura de varizes esofágicas começa pela administração de sangue e de soros por via endovenosa para compensar a perda de sangue. Este tratamento reduz o excesso de pressão nas varizes esofágicas e diminui o risco de hemorragia no futuro. Quando contactar um médico A hemorragia das varizes esofágicas pode por em risco a vida dos doentes.

3.1 HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA NÃO VARICOSA (HDANV)

  • Não realizar de rotina.
  • Considerar em pacientes selecionados com alto risco de ressangramento.

Prognóstico Pelo menos 50% dos doentes que sobrevivem a uma hemorragia por varizes esofágicas encontram-se em risco de uma nova hemorragia nos próximos um a dois anos.

O mais importante preditor de hemorragia por varizes é o tamanho das varizes, com o risco mais elevado da hemorragia inicial ocorrendo em pacientes com grandes varizes (15% ao ano). na hemorragia digestiva alta, mas é igualmente aqui onde sua contribuição é também a reconhecidamente falha na hemorragia digestiva alta, constituindo risco quando realizada A medida da discrepância entre as condutas diagnósticas na hemorragia digestiva alta mortalidade nos pacientes com hemorragia digestiva alta. Um inquérito nacional sobre hemorragia digestiva alta realizado pela American prática, permitindo aos endoscopistas codificar as lesões na hemorragia digestiva alta A elevada mortalidade da hemorragia digestiva alta, quando continua ou recidivante,12 hemorragia digestiva alta se deve a ruptura de veias ectasiadas do esôfago.

3.2 HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA VARICOSA (HDAV)

  • Uma das doenças cardiovasculares mais frequente no Brasil, responsável por complicações como a doença renal crônica terminal, é a doença denominada

semiológico capaz de definir-lhe a causa e o local da hemorragia digestiva alta.

A mortalidade na hemorragia digestiva alta é mais elevada nos cirróticos que nos 60-72%21,22 dos episódios de hemorragia digestiva alta em cirróticos com também as neoplasias de modo geral, podem acompanhar-se de hemorragia digestiva alta, hemorragia digestiva alta uma lesão aguda da mucosa gástrica,35,36 estando com neoplasias e hemorragia digestiva alta foi observada coagulação intravascular O conhecimento do diagnóstico endoscópico nos casos de hemorragia digestiva alta, Ainda que 80% de todos os episódios de hemorragia digestiva alta sejam O tratamento emergente da hemorragia devido à rotura de varizes esofágicas é feito, inicialmente, pela administração de soros e de sangue por via endovenosa. Estas varizes apresentam um risco elevado de hemorragia e, portanto, existem alguns tratamentos que permitem prevenir este acontecimento, sendo a Laqueação Elástica de Varizes Esofágicas um deles.

Diagnóstico das Varizes Esofágicas e Estratificação de Risco

  • No planejamento da assistência ao pré-natal de baixo risco, um dos exames fundamentais preconizados pelo Ministério da Saúde, a ser solicitado na rotina do terceiro trimestre da gestação é o(a)

A Hemorragia digestiva é mais um sintoma de alguma doença do que uma doença por si mesma.

De maio de 2005 a maio de 2007, foram admitidos, no PS do HCFMUSP, 480 pacientes com hemorragia digestiva alta (HDA) provocada por hemorragia varicosa esofágica. Varizes esofágicas com sangramento Com a alta mortalidade decorrente do sangramento, todo portador de cirrose deve estar alerta quanto a sinais de hemorragia (tabela abaixo). O sangramento por varizes esofágicas é uma complicação potencialmente letal da cirrose, principalmente em pacientes que apresentam outras complicações clínicas da cirrose como icterícia ou episódios prévios de hemorragia varicosa. No momento do diagnóstico, varizes esofágicas estão presentes em pouco menos de 50% dos pacientes e cerca de um terço dos pacientes com cirrose hepáticadesenvolverão hemorragia varicosa. As varizes gastroesofágicas são os mais relevantes colaterais portossistêmicos porque sua ruptura leva à hemorragia digestiva alta significativa com o potencial sangramento. Em pacientes sem varizes e naqueles com hemorragia varicosa, a mensuração do gradiente de pressão venosa hepática (GPVH) é o melhor método para estratificar o risco. Um estudo com uso de betabloqueador demonstrou diminuição no risco de desenvolver varizes esofágicas, mas esse benefício é contrabalançado pelo aumento de eventos adversos associados com o uso de betabloqueadores. Dada a alta taxa de recorrência, os pacientes que sobrevivem a uma hemorragia por varizes aguda devem receber tratamento para prevenir a recorrência. Os fatores que indicam o risco de hemorragia são: presença de ascite, confusão mental acentuada, varizes esofagianas de grosso calibre e coagulopatia.

Hemorragia digestiva alta por varizes esofagianas: análise de 56 casos no Hospital Santa Isabel, Blumenau - SC.

Casos em que a hemorragia digestiva alta demande uma cirurgia mais invasiva são cada vez mais raros Cirrose não é causada apenas por alcoolismo.

O tratamento para reduzir a pressão arterial do sangue na veia pode reduzir o risco de sangramento de varizes esofágicas. Se as varizes esofágicas têm um alto risco de hemorragia, o médico pode recomendar um procedimento chamado ligadura elástica. ; Prevenção; A melhor maneira de prevenir varizes esofágicas é reduzir o risco de cirrose. Prognóstico Pelo menos 50% das pessoas que sobrevivem sangramento varizes esofágicas estão em risco de mais sangramento durante os próximos um a dois anos. Com os descritores: hemorragia gastrointestinal, hemorragia digestiva alta, abordagem endoscópica, upper gastrintestinal bleeding, varizes esofágicas, hemorragia varicosa, hemorragia não varicosa, manejo do paciente, ressuscitação e tratamento. Haro CP, Fey A. Análise do perfil epidemiológico, tratamento e evolução dos pacientes com hemorragia digestiva alta atendidos no pronto socorro do Hospital Regional Alto Vale. Hemorragia digestiva alta varicosa: relatório do 1º Consenso da Sociedade Brasileira de Hepatologia. Gestão Clínica da Hemorragia Digestiva Alta. Hemorragia Digestiva Alta Não Varicosa.

Apresentação em tema: “HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA VARICOSA”— Transcrição da apresentação:

Modalidades de Terapia Endoscópica Frente à Hemorragia digestiva alta Não-Varicosa.

Hemorragia digestiva alta e baixa. Como comentado anteriormente, as varizes de esôfago estão muito relacionadas com os episódios súbitos de hemorragia digestiva alta. Cerca de 30% das pessoas que têm hepatites B ou C desenvolvem o problema, com risco de hemorragia digestiva alta, que podem levar à morte. O risco de hemorragia digestiva parece não diminuir com o avançar b) Hemorragia digestiva A presença de varizes no estômago e no esôfago é um fator de risco para hemorragias. Hipertensão porta é uma síndrome clínica decorrente de doenças hepáticas e extra-hepáticas, tendo como principal complicação a hemorragia digestiva alta por sangramento de varizes esofagianas. In: Hemorragia digestiva alta: diagnóstico e tratamento. Andaluz P. Manejo del paciente com hemorragia digestiva alta. Abordagem do paciente com hemorragia digestiva alta não varicosa.

8.1 - Hemorragia Digestiva Alta (HDA)

Sistematização de atendimento ao paciente com hemorragia digestiva alta.

A orientação se concentra, principalmente, em varizes e hemorragia digestiva alta varicosa. Estas varizes apresentam um risco elevado de hemorragia e, portanto, existem alguns tratamentos que permitem prevenir este acontecimento, sendo a Ligadura Elástica de Varizes Esofágicas um deles. HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA VARICOSAConsenso da Sociedade Brasileira de Hepatologia Maio 2009 R1 de clínica médica Gabrielly Nora 2 Ao se romperem, o sangue vai pra dentro do estômago e esôfago, gerando hemorragia digestiva alta. Os principais fatores de risco para a hemorragia digestiva alta decorrente da ruptura de varizes esofagogástricas são: – hipertensão porta superior a 12 mmHg; Profilaxia secundária de hemorragia digestiva alta em pacientes pediátricos portadores de varizes esofágicas ; ; ; ; ; ; . Nos pacientes com cirrose e varizes esofágicas se recomenda a prevenção da primeira hemorragia com betabloqueadores. Rastreio regular para varizes esofágicas é recomendado para pessoas com doença hepática avançada. Consenso sobre o tratamento da hemorragia varicosa na hipertensão portal.

Apresentação em tema: “Hemorragia Digestiva Alta - Profilaxia e tratamento Diarréia e constipação na UTI Roger Oliveira R2 CM Unifesp - EPM.“— Transcrição da apresentação:

que possível em qualquer paciente com hemorragia digestiva alta e suspeita

Hemorragia Digestiva Alta - Profilaxia e tratamento Diarréia e constipação na UTI Roger Oliveira R2 CM Unifesp - EPM 2 Dieta e profilaxia HD Nutrição — A nutrição enteral pode reduzir o risco de hemorragia digestiva por úlcera de estresse. Hemorragia Digestiva Situações de alto risco: Idade > 60 anosComorbidades graves Rupturas de varizes Passado de hemorragia digestiva Sangramento em hospitalizados Melena persistente PAS>100 e pulso>100 Ressangramento 23 Os pacientes eram cirróticos, apresentavam hipertensão porta com pressão > 12 mmHg e varizes esofágicas grau 2 ou 3 à endoscopia com ou sem histórico de hemorragia digestiva alta.